24H disponível para os Enfermeiros

Unidades de Saúde Familiar - 18 de Novembro 2015

Categoria: Unidades de Saúde Familiar - 18 de Novembro 2015

AVISO

As USF foram concebidas para dar cobertura estimulada aos clientes não abrangidos por médicos de família no conceito dos médicos sobre a matéria.
Correia de Campos, sempre ou quase sempre ele, até queria estender o método aos hospitais. Está escrito numa das suas saídas de ministro e desabafos em livro.
A moda pegou e desviou-se dos objectivos iniciais, cuja forma de cobertura é discutível pois podiam ser adoptadas outras medidas como as que usam para mandar os clientes a oftalmologia ou a qualquer de outra especialidade que não seja a especialidade em migalhas como é a do Clínico Geral, na versão médico de família.

Estamos a organizar um processo de impedir pelos meios ao nosso alcance e não usados até agora que as USF sejam formadas com elementos estranhos ao serviço onde se implantam.
Só serão tolerados por nós SE Enfermeiros estranhos ao serviço, vindos do exterior ou para satisfazer pedidos de aproximação do local pretendido por cada qual, quando estiverem incluídos todos os Enfermeiros daquele local.
Uma determinada médica dizia que uma das vantagens das USF era poder escolher as suas Enfermeiras.
Ora como este capricho de empreendedora de USF é ilegal e ilegítimo e imoral e inconstitucional, pelos danos abusivos que causa às pessoas Enfermeiras que no seu posto fazem o melhor que sabem e as circunstâncias permitem, vamos começar por abortar uma tentativa dessas que exclui 5 das Enfermeiras colocadas no Marco de Canavezes, em cujo grupo se inclui a própria chefe.
Que vantagens podem dar aos clientes, que nem conhecem, Enfermeiros vindos do exterior?
Que legalidade pode apoiar um médico/a a excluir 5 Enfermeiras que conhecem os Utentes que cuidam há anos?
Que objectivos não declarados esconde a estratégia de desviar Enfermeiras, que sempre cumpriram?
Com que lei é possível fazer isto?
Digam-nos, porque nós; nem na lei, nem na ética, nem na moral, encontramos qualquer norma, que permita abusar das pessoas desta maneira.

Se as entidades competentes, desde o ACES aos Cernadas e Alvarengas, passando pelos Vilas Boas e essa excrescência maligna da ERA não respeitarem os direitos das Enfermeiras marginalizadas por umamedicazita, que não pode com a vida delas e se julga mais capaz do que é ao ponto de ir buscar fora quem não lhe conheça os erros...

O DESFALQUE DA ARSN É DE 250 MILHÕES DE €€€€.

Norte do país é a zona mais atingida por essa praga das USF. Aí pode estar uma boa explicação dos excessos quelevaram a 250 milhões de défice.
Reconhece-se o direito/aspiração de os trabalhadores, seja qual for a sua categoria profissional quererem ganhar mais dinheiro pelo seu trabalho.
Mas oart.º 59º da Constituição da República Portuguesa determina (não sugere nem aconselha) que para TRABALHO IGUAL DEVE CORRESPONDER SALÁRIO IGUAL.

Ora se há semelhanças entre trabalho igual essas são como duas gotas de água nas USF/A e USF/B!

Então por que recebe um médico B 4370€  de incentivos fixos e umEnfermeiro B, até 900€e os seus homólogos do Tipo A auferem zero €€?
Qual a razão desta anomalia vergonhosa para um país que se afirma como justo?
Melhores serviços prestados?
Mais serviços do que os necessários?
E por que não se revoltam os AA?
Porque aguardam a subida a BB e com isso os vão entretendo à espera pelo dia do São Nunca ao cair da tarde!!

Que administração é esta?
Pensarão que por o DR. Vilas Boas ser um distinto Sindicalista da FNAM travestiado de Presidente da Associação das Unidades de Saúde Familiares/AN não tem contestação, só porque os comunistas estão calados a mamar na teta, enquanto der (esperamos que a escolha/exclusão de Enfermeiras não tenha inspiração e tendências políticas...venham de onde vierem).

Vamos avisar as entidades implicadas desde o DR. Avelino Bastos do ACES de Amarante, até ao Presidente da República de que:
se no Marco for permitida a marginalização das Enfermeiras numa possível e caprichosa USF pode muito bem acontecer que não venha a funcionar direitinho, porque na prática do sindicalismo que enforma o nosso comportamento sindical estão incluídos métodos para combater as injustiças, que não temos usado mas que nada nos impede de virmos a usar, com legitimidade, quando se cometem injustiças como a que estão a urdir as drªs. Helenas Oliveira Ana S. Pinto.

Ainda que tenhamos de pedir o burro emprestado à Dª Maria da Fonte, USF onde marginalizem os Enfermeiros do serviço, ou não chegarão a funcionar ou vão funcionar mal. Há que ter maneiras e vergonha!
É isto que merecem.
É isto que vão ter, pois este Sindicato dos Enfermeiros tem de estar à altura das inovações adequando os métodos de acção.
Não se esqueçam  que se uns Enfermeiros não atropelaremos direitos de outros Enfermeiros os caprichos das possidoneiras não se realizam, nem a gula do Dr. Vilas Boas, sindicalista da FNAM, se alimenta destas injustiças. E dizem-se eles que... e que... e mais que!

Com amizade,
José Azevedo

© 2017 Sindicato dos Enfermeiros
by Estudio Digital
Back to Top